Total Shares 127

RESUMO: João Canas é um aluno a frequentar a licenciatura de Engenharia Aeroespacial no IST. Para além da escolha invulgar nesta área, o João pratica ainda dois desportos pouco habituais: patinagem artística e triatlo. Ao longo desta entrevista procuramos conhecer um pouco melhor a sua história e quais os segredos para conciliar elevado sucesso académico com a prática destas actividades. #uduni #universitylife

 

Related: Studying at ISEGTécnico (IST)ISCTE-IUL and Nova SBE – real testimonials!

engenharia aeroespacial

Olá João! Antes de mais obrigada por tirares algum do teu tempo para responder a estas perguntas! Queria começar por pedir que nos falasses um pouco de ti e do teu percurso até agora.

O meu nome é João Canas, tenho 20 anos e sou do Barreiro, local onde sempre vivi e onde ainda hoje resido. Estudei sempre no atual Agrupamento de Escolas de Santo André até ao 12º ano. Após esse periodo vim estudar para Lisboa para o Instituto Superior Técnico no curso se Engenharia Aeroespacial.  Sou uma pessoa simples e bastante prática. Gosto bastante de resolver problemas no meu dia-a-dia, procurando sempre fazê-lo considerando todas as opções possiveis e não apenas as que seriam mais usuais. Sou também um pouco perfeccionista e, em tudo o que faço, dou sempre o meu melhor.

Tirar um curso de Engenharia Aeroespacial soa fascinante e, ao mesmo tempo, assustador. O que te levou a escolher esta área? Como foi o processo de decisão?

Durante todo o meu percurso escolar nunca tive uma ideia muito certa do que queria fazer quando entrasse para o ensino superior. Desde cedo que me interessei pela área das ciências, sendo que a disciplina que mais gostava era matemática. No entanto, sabia que era uma área bastante vasta e, mesmo durante o secundário, tive sempre muitas dúvidas entre seguir um curso mais ligado à física e à matemática, ou algo mais na área da biologia, procurando sempre garantir um média que me permitisse tomar qualquer decisão no final do 12º ano. Com o passar do tempo, fui-me interessanto mais pela área das engenharias. Parecia-me uma área que me iria permitir uma mais diversidade de atividades quando acabasse o curso.

O facto de querer fugir um pouco ao esteriótipo de que todos os bons alunos têm de ir para medicina, pode ter também contribuido um pouco para esta decisão. Com base nisto, no 12º ano escolhi como disciplinas opcionais Física e Química. Durante este ano procurei obter o máximo de informações que podia sobre as faculdades de engenharia na área de Lisboa e os cursos que estas ofereciam. Acabei por optar pelo Instituto Superior Técnico, não só por ser bastante reconhecido, mas porque tem a fama de ser dificil e sempre gostei de desafios. Andei quase até ao periodo de candidaturas na dúvida entre os cursos de Engenharia Mecância e Aerospacial, até que finalmente tomei uma decisão da qual não me arrependo.

engenharia aeroespacial

 

Related: Erasmus experiences in South KoreaItalyFrance and the USA!

 

Parece-me uma escolha muito acertada! Como tem sido a tua experiência nessa área? O que tem surpreendeu ou agradou mais ao entrar nesse curso?

A experiência ao longo destes 3 anos tem sido espetacular. Tive oportunidade de conviver com pessoas muito diferentes do que estava habituado. O facto do IST ser o unico sítio em Portugal onde este curso existe faz com que tenha colegas de todos os pontos do país. A maior diferença que senti neste aspecto é que as pessoas gostam do que estudam e isso permite ter discussões muito interessantes sobre a área, o que não acontecia antes de entrar para o ensino superior.

O nivel de exigência é grande, mas de outra forma não teria o mesmo interesse. O aspeto mais positivo e que mais me surpreendeu logo nas primeiras semanas de aulas do 1º ano, é que no meu curso há muito apoio entre colegas, quer do mesmo ano, quer entre anos diferentes. Sempre que alguém tem uma dúvida ou precisa de material para estudar para alguma disciplina, há sempre quem ajude e disponibilize testes de anos anteriores, apontamentos das aulas, etc.

Não fazia ideia que havia essa cultura de entreajuda entre colegas no técnico, isso é fantástico. Com uma experiência tão positiva, tens algum aspeto mais negativo a mencionar?

Não tenho muito para reclamar. Como é normal em qualquer curso, penso eu, há sempre disciplinas que não nos interessam tanto e professores que gostamos menos, mas até ao momento tem sido muito poucas a situações em que isso se verficou. Outro aspeto que podia ser alterado é falta de componente prática do curso. Na minha opinão, deveriamos ter mais avaliações por trabalhos e projetos e menos por testes e exames e apenas avaliam a capacidade de fazer exercícios que muitas vezes são iguais ou parecidos a outros que já fizemos antes em aula ou durante o estudo.

ist memec

Acho que os problemas que referes são bastante comuns na maioria dos cursos, infelizmente. Para além de teres escolhido um curso que te está a agradar bastante, o que costumas fazer nos teus tempos livres?

O meu tempo livre, para além de pouco, costuma ser muito bem preenchido e é raro o momento do dia em que não tenha nada para fazer. A maior parte deste tempo costumo dedicar à prática desportiva, nomeadamente triatlo e patinagem artística.

Como entraste para o mundo do triatlo e da patinagem artística?

São duas histórias bastante diferentes. Começando com o triatlo que pratico há mais tempo, os meus pais increveram-me na natação do Clube de Futebol Os Belensenses quando tinha 6 meses. Quando tinha 7 anos, mudei de aula e a minha treinadora na altura queria criar uma escola de triatlo no clube e convidou-nos a experimentar. Gostei bastante da experiência e das primeiras provas e acabei por ficar até hoje. Com a entrada para o ensino superior passei a vir mais vezes para Lisboa o que me permitiu começar frequentar mais treinos.

Relativamnete à patinagem, a história é um pouco diferente e aconteceu à cerca de 10 anos. A minha mãe tinha na altura algumas alunas que praticavam patinagem artística e, como costuma haver falta de rapazes na modalidade, um dia elas propuseram-lhe que eu fosse experiementar um treino. Eu não sabia andar de patins e nunca me tinha interessado muito, mas quando experimentei gostei bastante e continuei a praticar até hoje. No inicío não era muito dificil conciliar as duas atividades, apesar de ter ter de faltar a alguns treinos. Com o tempo tornou-se mais dfíicil mas nunca desiti e ainda hoje pratico as duas atividades com bastante frequência.

Ambas as histórias são muito interessantes! Como tem sido o teu percurso nessas áreas até agora?

Ao longo dos anos, já tive variadissimas experiências. Penso que tenho tido um percurso bastante positivo, especialmente nos últimos anos. Nunca fui um atleta de topo em nenhuma das modalidades, não só devido à necessidade de conciliar as duas, mas também porque sempre dei mais ênfase à escola. O meu objectivo sempre foi mais divertir-me com a prática destas atividades e aprender o máximo possivel do que obter excelentes resultados.

Tendo em conta a tua preocupação com o sucesso escolar, como consegues conciliar o estudo com essas acitividades?

engenharia aeroespacial

É necessário ser bastante organizado e não perder tempo. Tenho todos os dias bastante bem preenchidos o que me deixa com pouco tempo livre. O normal na maioria dos dias, é ter treinos de manhã e à noite, e ter aulas durante a manhã ou tarde dependendo do ano. No caso de ter aulas de tarde, estudo durante a manhã e vice-versa. Não tenho o hábito de ir sair, especialmente durante o periodo de aulas, e muito raramente o faço à noite. Isto liberta-me algum tempo que posso gastar a fazer coisas de que gosto mais. Como o tempo para estudar não é muito, procuro sempre aproveitar bem as aulas para aprender a matéria e não ter de estudar tanto em casa.

Outro fator que penso que ajuda bastante, é não esquecer o que aprendi nas disciplinas de base para facilmente perceber melhor as mais complexas. Uma boa forma de garantir isto é tentar sempre perceber tudo em vez de decorar, pois dessa forma é mais dificil de esquecer. No entanto, o mais importante para conseguir conciliar bem as três atividades é gostar muito de tudo o que faço e ter a certeza que não podia estar a fazer nada melhor em cada momento do dia.

Parece-me que o teu método podia ser usado por muitos de nós! Gostava também agora que nos dissesses o que te cativa mais a praticar triatlo e patinagem artística?

Uma das vantagens de praticar atividades tão diferentes, é a possibilidade de conviver com pessoas muito diferentes. Isso aliado ao facto de já praticar desporto há muitos anos sem nunca ter mudado de clube, fez com integrasse bastante bem os grupos com quem treino e que permitiram a vivência de experiências muito interessantes quer em treino, quer em provas. Além disto, são duas modalidades muito desafiantes quer a nivel físico quer a nivel psicológico e, como já referi anteriormente, adoro desafios. É ainda uma forma de praticar exercício físico, indispensável a um estilo de vida saudável.

Aliar actividades que adoramos com conhecer pessoas interessantes que passam a fazer parte da nossa vida são mesmo enormes vantages!

E hoje em dia quais são os teus planos no futuro mais próximo e a longo prazo?

Em relação ao futuro, apenas tenho planos para o ano letivo 2016/2017. No próximo ano inicio a parte do curso correspondente ao mestrado e irei fazer Erasmus na Holanda na “Delft University of Technology” a começar logo no 1º semestre. Estou a pensar em manter a prática desportiva durante esse periodo, mas infelizmente irei deixar de patinar, pelo menos por um ano. Para os anos que se seguem ainda não tenho nada definido. Irá depender muito de como correr esta experiência internacional, apesar de ter altas espetativas. Caso a experiência seja muito positiva, já pensei em concorrer para mestrado no estrangeiro, não chegando a acabar o curso no técnico.

Muito obrigada pelas tuas respostas João! Foi muito interessante poder entrevistar alguém ambicioso e com interesses tão distintos. Boa sorte para as próximas etapas!

 

INTERVIEWER: Margarida Morais

DISCLAIMER: The articles featured on our platform were prepared or accomplished by students in their personal capacity. The opinions expressed in this article are the author’s own and do not reflect the view of UDUNI. UDUNI does not accept any responsibility or liability for the accuracy, content, completeness, legality, or reliability of the information contained in these articles. It is part of our mission to empower students, by providing them access to real testimonials and opinions, and we believe that is the reason why some of our articles may not please everyone.
Total Shares 127

Leave a Reply